• AP Refrigeracao

Ar-Condicionado Central

Entre VRF e Rede Dutos


Desenvolver maneiras de lidar com as condições climáticas impostas pela natureza, seja o calor insuportável ou o frio extremo, é um desafio que a humanidade enfrenta desde que começou a se espalhar pela Terra. Os primeiros artifícios desenvolvidos pelo homem para manter espaços climatizados datam de 4 mil anos atrás, e foram encontrados nas regiões da Mesopotâmia e antigo Império Persa. Estudos arqueológicos indicam a construção de uma estrutura chamada de badgir, em tradução livre “apanhador de vento”, que consistia basicamente em uma torre, tipo chaminé, que capturava a brisa do ambiente exterior através de orifícios e distribuía no interior das edificações (através do que seriam os primórdios de uma rede dutos), ao mesmo tempo que dispersava o ar quente para o exterior. Testes indicam que tal engenho tinha capacidade de reduzir a temperatura interna em até 10º C. Nada mal! De tão eficiente que é, e principalmente por não demandar energia elétrica, até hoje são encontradas estruturas semelhantes, em especial nas regiões mais isoladas do atual Oriente Médio.



Curiosidades a parte, o fato é que o desafio de lidar com as condições climáticas permanece e as soluções para climatizar ambientes acompanharam o desenvolvimento tecnológico da humanidade. Um dos mais notáveis desafios enfrentados é, sem dúvida, manter climatizadas, de forma eficiente, grandes edificações com múltiplos ambientes separados, seja ele uma grande residência, uma fábrica, um prédio, um shopping, um estádio, um hospital ou etc. Para lidar com tal desafio, desenvolveu-se o que costumamos chamar de Ar-Condicionado Central.


Em linhas gerais, um sistema de climatização baseado no conceito de Ar Condicionado Central refere-se a uma unidade externa (condensadora de grande capacidade) alimentando uma unidade interna (evaporadora de grande capacidade). Este sistema difere-se dos demais pois ao invés de se instalar diversas unidades autônomas para os múltiplos ambientes, opta-se um sistema centralizador aonde uma única evaporadora distribui todo o fluxo de AR por redes de dutos.


Existem diversas concepções de sistemas de Ar-Condicionado Central, que diversificam quanto a sua configuração de projeto. Podem ser baseados em expansão de gás refrigerante (principalmente “Splitão”) ou através de água gelada (principalmente Chillers).

Vamos agora falar um pouco sobre os sistemas de Ar-Condicionados Centrais

Um dos primeiros sistemas consistia em uma grande unidade externa ligada a uma grande evaporadora que alimenta uma seção de rede de dutos que direciona o fluxo de ar em diversos ambientes. Este sistema de dutos demanda quase que obrigatoriamente algum tipo de rebaixamento no teto para esconder as infraestruturas e assentar as grelhas ou difusores. Tem como vantagem ter uma boa estética, pois mantém oculta praticamente toda infraestrutura. Porém, apresenta problemas. Seu controle é essencialmente centralizado, assim perdendo eficiência de controle de temperatura por cada ambiente.


Por exemplo, se uma única sessão de dutos atender um conjunto de 5 salas onde duas estão com forte exposição solar diferentes das outras três, não será possível controlar a evaporadora com precisão para atender somente as duas salas com maior carga térmica. Tal situação geralmente ocasiona conflitos entre os usuários. Outro inconveniente é que se por algum motivo uma evaporadora tiver que ter seu funcionamento interrompido, toda uma grande sessão alimentada por aquela rede de dutos ficará comprometida.


Atualmente, com a modernização dos sistemas, conseguimos aplicar soluções com o conceito de máquinas dutadas, mas individualizando por ambientes rede de dutos. É semelhante ao primeiro, porém com controle mais individualizado, pois têm mais evaporadoras ligadas a seções menores de dutos. Assim, cada evaporadora é responsável por ambiente mais individualizado, evitando os inconvenientes apresentados no primeiro exemplo.


Cumpre-se mencionar que as redes de dutos demandam higienização em determinados espaços de tempo o que, devido à dificuldade ou mero desconhecimento, é muitas vezes é ignorado, transformando a rede de dutos em uma ameaça a saúde dos usuários daqueles ambientes.


Por último, vamos abordar o sistema de Ar-Condicionado Central baseado no Sistema VRF. O VRF, que em livre tradução significa “Fluxo de Gás Refrigerante Variável”, é o que podemos, de fato, classificar como sistema de ar-condicionado central multi split.



O Sistema VRF compreende uma condensadora ligada via linha frigorígena a diversas evaporadoras, e cada evaporadora pode operar de forma independente uma da outra. Como o próprio nome já diz, o sistema é baseado em um fluxo variável de gás refrigerante. Assim dispensa a rede de dutos e alimenta as evaporadoras através de uma linha de tubo de cobre que transporta o gás refrigerante, tal como os splits residenciais. Devido a sua capacidade de manter o fluxo de gás variável, pode alimentar de forma independente cada evaporadora, sendo assim um sistema de controle completamente individualizado, ou seja, cada ponto possui um controle preciso de temperatura.


O Sistema VRF apresenta algumas vantagens se comparado aos sistemas baseados em rede de dutos:

  • Dispensar grandes redes dutos, tornando sua instalação mais simples e barata.

  • Não necessita de grandes casas de máquinas, podendo ser instalado em praticamente qualquer estrutura que já tenha um sistema split, inclusive residencial.

  • Apresenta um nível menor de ruído se comparado com grandes unidades evaporadoras com dutos

  • Mais econômico do que qualquer outro sistema, uma vez que não há desperdício de energia, pois tem um controle completamente individualizado por cada evaporadora.

A dificuldade hoje relacionada ao sistema VRF diz respeito a encontrar mão de obra qualificada para instalar, operar e gerir a manutenção deste tipo sistema, uma vez que apresenta elevadíssimo nível de tecnologia e a preparação para operá-los demanda tempo e recursos. Diferente de um split residencial comum, a correta instalação de um sistema VRF demanda, inclusive, apoio de engenharia especializada, algo bastante raro ainda no Brasil.


Como escolher o melhor sistema de Ar-Condicionado Central é uma questão que demanda a análise de infinitas variáveis e precisa de extenso conhecimento técnico. A opção por um Sistema de Ar-Condicionado Central, seja ele por dutos ou VRF é uma decisão que deve ser tomada sempre com base no parecer de um profissional capacitado. Qualquer sistema apresenta vantagens e desvantagens. Para qualquer sistema há um custo a ser avaliado e um retorno a ser medido. Nesse sentido a AP Refrigeração está pronta para apoiar nossos clientes, desde a concepção de projeto até o start-up do sistema.


A AP Refrigeração orgulha-se de ser especialista em VRF, com qualidade internacionalmente atestada e reconhecida pela própria Midea Carrier, um dos maiores fabricantes do mundo. Possuímos engenheiros com décadas de experiência e técnicos treinados, inclusive fora do Brasil, aptos para operar e gerir a manutenção do Sistema VRF. A AP Refrigeração hoje está qualificada a trabalhar em todas as etapas, a concepção do projeto, instalação e manutenção, dos mais diversos sistemas de Ar-Condicionado Central, em especial VRF.

Se quiser saber mais sobre nossa larga expertise, entre em contato com a gente.